20.9.02

QUE PUNK ROCKER É VOCÊ?

Você é Joey Ramone O pai do punk rock, com suas atitudes sucintas e de boa índole faziam do punk não só um estilo de música, mas um estilo de vida. Cuidado com o cancer :/



Mais um quiz. Esse é meu resultado: eu sou Joey Ramone. Maneiro! Curto Ramones pacas! Só tem uma coisa ruim: acho que estou ficando dependente desses trecos. Não vai demorar muito para aparecer no ABlog um link para algo ridículo como "Que marca de desentupidor de seringa é você?"...

17.9.02

CASAMENTOS

Algumas pessoas só existem em casamentos. Como pequenos cometas Halleys da sociedade, são identificados, com dificuldade, apenas de anos em anos. Lá está você, sozinho, champagne numa mão, chopp na outra, salgadinho de camarão na outra, bolinho de bacalhau na outra, olhando em todas as direções. Você pode ser abordado a qualquer momento por um conhecido desconhecido. Todo aquele pessoal que você conhecia quando era criança agora tem barba, salvo por algumas das mulheres. Várias mesas repletas de avôs e avós. Cabelos brancos, quilos a mais, trufas e bonbons na bolsa, dentadura no copo de Whiskey. De repente você identifica os avós de um camarada que andava de skate contigo no playground.

- Olá, Tudo bem? Quanto tempo! Como vai seu neto? Ele está aí?

- Oi! Mas o Joaozinho ainda nem casou! Quem dirá ter filhos!

Pronto. Os dinossauros eram os pais do teu camarada. Você acaba de chamar os pais do cara de velhos! Discretamente pegue um salgadinho com o garçon que passou e bote inteiro na boca para justificar o silêncio. Agora reze para que o casal de idosos não perceba seu passo para trás e dê o fora. A culpa não é sua. As pessoas tinham que andar com crachá e vir acompanhadas de legenda:

"Eu brincava de playmobil com você em 1500 antes de Cristo"

"Nós éramos melhores amigos! Eu te dei meu time de botão! Hoje tou precisando de uma grana. Me dá teu telefone!"

"Você isolou minha bola num jogo de futebol e até hoje não fui capaz de superar o trauma"

"Eu sou a mãe do Zezinho. Você assaltava minha geladeira. Hoje moro de favor e morro de fome. Que tal? Se sente bem?!"

Infelizmente não é isso que acontece. Você é obrigado a esperar até que uma senhora com cara de Tia-Avó aperte sua bochecha. Esse ato será obviamente seguido de "Como você cresceu!". A mão que deixou um hematoma no seu rosto agora aponta para o filho que foi teu amigo de infância e que depois de anos perdeu os cabelos mas continua com o tique de comer meleca. Vai lá falar com o cara!